Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Séries de Palestras

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Calendário de Eventos

perfil john

O Caminho da Confiança

John Main OSB, THE HUNGER FOR DEPTH AND MEANING, editado por Peter Ng (Cingapura: Medio Media, 2007), pgs. 179-181.

Outro dia eu lia acerca do Deus indiano Shiva que estava sentado junto a sua esposa observando o mundo lá embaixo e ela lhe disse: “Por que você não vai e promove a salvação de alguns dos teus devotos?” Shiva disse: “Muito bem.” Assim, eles desceram até um vilarejo e sentaram-se no mercado local. Correu a notícia de que o grande profeta estava ali presente. Então os homens santos do vilarejo se apresentaram. O primeiro se dirigiu a Shiva e disse: “Eu medito oito horas por dia. No inverno medito duas horas na água fria. No verão duas horas no maior calor. Quando obterei a salvação?” Shiva olhou para ele e disse: “Mais três encarnações”. Aquele homem retornou a seus amigos balançando a cabeça, “Mais três! Mais três!”
E por aí vai.
Finalmente, um pequeno homem se apresenta dizendo: “Receio que eu não faço muito, mas procuro amar todas as pessoas que estão a meu redor, e procuro amar a criação. Poderei obter a salvação?” Shiva coça a cabeça e o pequeno camarada fica um pouco nervoso. Shiva olha para ele e diz: “Bem, mil encarnações,” no que o pequeno camarada dá pulos de deleite e alegria e começa a gritar para todos: “conseguirei! Apenas mil!” Com isso ele se incendeia e as chamas o envolvem, assim como a Shiva e sua esposa, e todos eles se tornam uma só chama e desaparecem. A esposa de Shiva lhe diz: “Como foi que esse pequeno homem conseguiu a salvação imediata? Você disse mil!” Shiva respondeu: “Sim, mas sua generosidade se impôs acima de meu julgamento. Assim, ele foi salvo imediatamente.”
Logo depois disso, tomei o Evangelho de Lucas: “Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu e o outro publicano. O fariseu, de pé, orava interiormente desse modo: “Ó Deus, eu te dou graças porque não sou como o resto dos homens, ladrões, injustos, adúlteros, nem como este publicano; jejuo duas vezes por semana, pago o dízimo de todos os meus rendimentos”. O publicano, mantendo-se à distância, não ousava sequer levantar os olhos para o céu, mas batia no peito dizendo: “Meu Deus, tem piedade de mim, pecador!” (Lc 18, 10-13)
A meditação é um caminho que seguimos para nos confiarmos inteiramente ao mistério de nossa própria existência. Meditar é simplesmente estar em um estado de aceitação das coisas como elas são, de confiar todo o nosso ser a Deus. Na meditação nos entregamos, nos oferecemos, abandonando tudo o que somos. Simplesmente repetimos nossa palavra.
A meditação é um portão de acesso à proximidade de Deus, que se encontra em nossos próprios corações. Deus responde ao anseio de nosso coração com a simples resposta do amor. Esse amor é nossa esperança, nossa confiança inabalável em que qualquer que seja a dificuldade, qualquer que seja o desafio, poderemos enfrentá-lo com os recursos infinitos que nos foram dados. Deus faz tudo isso em nosso interior, em silêncio, se apenas permitirmos que o mistério nos envolva. A qualidade que necessitamos para essa obra é a da simples aceitação das coisas como elas são: confiança.

 

original em inglês:

John Main OSB, an excerpt from “The Way of Stillness” in THE HUNGER FOR DEPTH AND MEANING, ed. Peter Ng (Singapore: Medio Media, 2007), pp. 179-181.

I was reading the other day of the Indian god Shiva, who was sitting with his wife looking down on the world and she said to him, “Why don’t you go and grant salvation to some of your devotees?” Shiva said, “Very well.” So they went down to a town and they sat in the market place. The word got around that the great prophet was there. And then the holy men of the town came out. The first came up to Shiva and said, “I meditate eight hours a day. In winter, I meditate for two hours in cold water. In summer, two hours in the heaty. When will I get salvation?” Shiva looked at him and said, “Three more incarnations.” The man goes back to his friends shaking his head, “Three more! Three more!” And so it goes.
Finally a little man come and he says, “I am afraid I don’t do much, but I try to love everyone around me and I try to love creation. Can I get salvation?” Shiva scratches his head and the little fellow gets a little nervous. Shiva looks at him and says, “Well, a thousand incarnations,” at which the little fellow jumps in delight and joy and starts shouting to everyone, “I will get it! Only a thousand!” And at that, he bursts into flames and so do Shiva and his wife, and they all become one flame and are gone. Shiva’s wife says to him, “How did that little old man get salvation immediately? You said a thousand!” Shiva said, “Yes, but his generosity overruled my ruling. So he was saved immediately.”
Just after that, I picked up the Gospel of Luke: “Two men went up to the temple to pray, one a Pharisee and one a tax collector. The Pharisee stood up and said: ‘I thank you God that I am not like other men, greedy, dishonest, adulterous or for that matter like this tax collector. I fast twice a week. I pay tithes on all I receive.’ But the other kept his distance and would not even raise his eyes to heaven, but beat his chest saying, ‘Lord God have mercy on me a sinner.’” (Luke 18: 10-14)
Meditation is a way we follow to entrust ourselves utterly to the mystery of our own existence. To be meditating is simply to be in the state of accepting what is, of entrusting our whole being to God. In meditation, we lay ourselves on the line, offering ourselves, abandoning everything that we are. We simply say our word.
Meditation is an entrance into the nearness of God, who is found in our own hearts. God answers the yearning of our heart with the simple answer of love. This love is our hope, our unshakable confidence that whatever the difficulty, whatever the challenge, we can meet it out of the infinite resources given us. God does all this within us in silence, if only we allow the mystery to encompass us. The quality we require for this work is simple acceptance of everything that is: trust.

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.