Jesus O Mestre Interior

Leitura de Domingo, 23 Abril 2017
Laurence Freeman, OSB

extraído de Espírito do livro JESUS O MESTRE INTERIOR de Laurence Freeman (São Paulo – Martins Fontes, 2000).

No Evangelho segundo São João a Ressurreição e o envio do Espírito são vistos como um único evento. À tarde do dia da Páscoa Jesus veio e pondo-se em meio aos discípulos, que estavam a portas fechadas por medo dos judeus, lhes disse: Shalom. Essa rica palavra hebraica para Paz invocava a benção da harmonia de todas as ordens do ser. Shalom flui diretamente da harmonia divina que é o Espírito. Receber isso equivale a compartilhar essa paz que está além de toda compreensão. Jesus então soprou sobre eles e lhes disse: “Recebei o Espírito Santo”.
Seu sopro, que carregou suas palavras para dentro de suas mentes e corações que escutavam, é um meio do Espírito. Então ele lhes conferiu o poder de perdoar os pecados. Esse poder do perdão. . . é um carisma do Espírito, porque o perdão remove o maior de todos os obstáculos à comunicação. Ele cura as feridas, confessa a verdade que nos liberta, consola a dor, acalma a raiva, dissolve o ressentimento, consegue a reconciliação dos inimigos. Quem quer que conheça a verdade possui o poder de perdoar. . .
Através do efeito que o Espírito causa em nós, aprendemos o que é o Espírito: um amigo que não tem favoritos e que liberta o poder de amar, de perdoar indefinidamente. Está além da observação, mas o reconhecemos pelos vestígios de sua orientação silente, cura, passagem consoladora por nossas vidas

original em inglês

 

An excerpt from Laurence Freeman OSB, "Spirit," JESUS THE TEACHER WITHIN (New York: Continuum, 2000), pp. 186 87.

 

In St John's gospel, the Resurrection and the sending of the Spirit are seen as a single event. On the evening of Easter Day Jesus came and stood among the disciples while they were huddled fearfully in a locked room. His first word to them was shalom. The rich Hebrew word for peace invoked the blessing of the harmony of all orders of being. Shalom flows directly from the Divine harmony which is the Spirit. To receive it is to share in that peace beyond all understanding. Jesus then breathed on them and said, "Receive the Holy Spirit.'
His breath, which carried his words into their minds and listening hearts, is a medium of the Spirit. Then he gave them the power to forgive sins. This power to forgive. . .is a charism of the Spirit because forgiveness removes the greatest of all obstacles to communication. It heals wounds, confesses the truth that sets us free, consoles pain, calms anger, dissolves resentment, achieves the reconciliation of enemies. Whoever knows the truth has the power to forgive. . .
We learn through her effect on ourselves what the Spirit is: a friend who has no favorites and who liberates the power to love, to forgive endlessly. She is beyond observation but we recognize her by the traces of her silent, guiding, healing, consoling passage through our lives.