Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2018 >
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Séries de Palestras

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Calendário de Eventos

Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

perfil laurence

Aspectos do Amor

Extraído de Laurence Freeman OSB, ASPECTS OF LOVE: On Retreat with Laurence Freeman (London and Berkhamstead: Medio Media and Arthur James, 1997), p. 85.

São João nos diz que Deus jamais foi visto. Em outras palavras, Deus jamais poderá ser um objeto exterior a nós mesmos. É a mente que sempre cria objetos, que sempre cria a realidade exterior. É porque fazemos isso continuamente que precisamos da prece para nos aprofundarmos mais do que a mente. Precisamos ir àquele nível de nosso ser, o coração, o espírito, onde entendemos estar nos relacionando, em comunhão, na dança do ser, com todas as coisas que são, em Deus. Cada um de nós é chamado a isso, e é capaz disso.
[O] amor é uma escola. Aprendemos a amar, amando. . . Na meditação aprendemos que o amor é o ponto no qual seremos avaliados ao final do curso. Podemos, provavelmente, adivinhar que quando chegar a hora de revisar nossa própria vida, como fazem as pessoas que sabem estar morrendo, o valor pelo qual nos julgaremos é o valor do amor, o valor dos relacionamentos. [. . .] A meditação nos ajuda a enxergar o equilíbrio do amor em nossa vida, o grande poder de equilíbrio do amor que nos cria, nos acompanha por toda a vida, nos cura e nos ensina. Enxergamos o amor que está conosco, que nos acompanha em nossa jornada. Não se trata de um amor que precisemos ganhar ou merecer, mas, um amor que está conosco constantemente.
Nossos olhos se abrem através da meditação, para ver o quanto está presente o poder do amor em meio a todo nosso desequilíbrio, em meio a toda a nossa instabilidade, toda nossa distração. Conseguimos sentir cada vez mais profundamente a presença da paz. E, à medida que nos ensina a nos amarmos a nós mesmos, a amarmos aos outros, e a amar a Deus, também nos ensina que todos os relacionamentos são, na verdade, aspectos de um único relacionamento.

original em inglês:

An excerpt from ASPECTS OF LOVE: On Retreat with Laurence Freeman (London and Berkhamstead: Medio Media and Arthur James, 1997), p. 85.

St John says that God has never been seen. In other words, God can never be an object outside ourselves. It is the mind that is always creating objects, always creating external reality. Because we do this continually, we need in our prayer to go deeper than the mind. We need to go to that level of our being, the heart, the spirit, where we understand that we are in relationship, in communion, in the dance of being, with everything that is, in God. Each of us is called to this and is capable of this.

[L]ove is a school. We learn to love by loving. . . We learn in meditation that love is the thing on which we will be assessed at the end of the course. And we can probably guess that when we come to review our own life, as people do when they know they are dying, the value by which we judge ourselves is the value of love, the value of relationships. [ . . . .] Meditation helps us see the balance of love in our life, the great balancing power of love that creates us, that accompanies us through our life, that heals and teaches us. We see the love that is with us, that accompanies us on the journey. It is not a love we need to gain or earn but a love that is constantly with us

Our eyes are opened through meditation to see how much the power of love is present in the midst of all our imbalance, all our waywardness, all our distractedness. We are able to feel more and more deeply the presence of peace. And as it teaches us to love ourselves, to love others, and to love God, it also teaches us that all relationships are really aspects of one relationship.

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.