Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2019 >
Quaresma 2018 >
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Séries de Palestras

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Sexta-feira da 2ª Semana da Quaresma

D. Laurence Freeman

No evangelho de hoje, Jesus fala com seus discípulos separadamente e os adverte sobre o destino que os aguarda em Jerusalém. Imediatamente então nos é relatado que a mãe de dois deles se aproxima de Jesus com seus filhos, faz reverencia e pede que lhes seja dado um bom emprego na sua nova administração, assim que ele se estabelecer no poder. É bastante surpreendente a disparidade no entendimento e na inteligência espiritual, e provavelmente não mudou muito durante esses dois milênios. Nós desprezamos aquilo que não queremos ouvir e forçamos a aceitação de nossa lista de prioridades quando podemos.

Nas circunstâncias, Jesus lida gentilmente com ela e também com os outros dez discípulos que ficaram enciumados ao ouvirem o lobby da mulher. A resposta do mestre reitera o cerne de seu ensinamento sobre a renúncia ao poder e ao status em todas as relações humanas: “Aquele que quiser tornar-se grande entre vós seja aquele que serve, e o que quiser ser o primeiro dentre vós, seja o vosso escravo”.

Talvez aqueles que detêm o poder em instituições só podem realmente experimentar a verdade expressa nestas palavras quando se demitem. Os papas medievais chamavam a si mesmos de "servo dos servos de Deus", soa bem, mas ninguém acreditava. O poder continua sendo a grande tentação. A hierarquia, que envolve o poder, é a antítese da vida espiritual. 

A verdadeira prática espiritual nos traz de volta para a terra onde todas as outras pessoas permanecem. Ela despreza a pompa e a circunstância, a intriga e a falsa piedade. A Quaresma deveria ser, naturalmente, um tempo especial para a promoção da justiça social através da prática contemplativa. Talvez seja apropriado, então, que os príncipes da Igreja Católica estejam se reunindo para eleger um novo sucessor de Pedro especialmente neste período.

 



Texto original em inglês

Friday of Lent Week 2

By Laurence Freeman OSB

In today’s gospel Jesus takes his close disciples aside and warns them of the fate soon awaiting him and them in Jerusalem. Immediately we are then told that the mother of two of them approached him with her sons, did homage and asked him to give them a good job in his new administration after he came to power. The disparity in understanding and spiritual intelligence is quite startling and it probably hasn’t improved much in the two milllennia since. We blank out what we don’t want to hear and we push our own agenda when we can.

Jesus handles her rather gently in the circumstances – and also the other ten disciples who are jealous when they hear of the woman’s lobbying. Their teacher’s response reiterates his core teaching on the renunciation of power and status in all human relations: whoever wishes to be great among you shall be your servant; whoever wishes to be first among you shall be your slave. 

Perhaps those who hold power in institutions can only really experience the truth expressed in these words when they resign. The medieval popes called themselves the ‘servant of the servants of God’ which sounds good except no one believed it. Power remains the great temptation. Hierarchy, which embeds power, is the antithesis of the spiritual life. 

True spiritual practice continuously brings us down to earth, where everyone else is standing. It scorns pomp and circumstance, intrigue and false piety. Lent should naturally be a special time for promotion of social justice through contemplative practice. Perhaps it is fitting, then, that the princes of the Catholic Church are assembling to elect a new successor to Peter in this of all seasons.

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.