Leituras

Acesse mais leituras e mensagens de D. John Main e D. Laurence Freeman:

Reflexões da Quaresma

Durante toda a Quaresma, Dom Laurence envia suas reflexões diárias para a Comunidade.
Quaresma 2020 >
Quaresma 2019 >
Quaresma 2018 >
Quaresma 2017 >
Quaresma 2016 >
Quaresma 2015 >
Quaresma 2014 >
Quaresma 2013 >

Encontre um Grupo de Meditacao Crista

Sábado após as Cinzas

D. Laurence Freeman

As Escrituras convidam a uma interpretação literária não literal. A literal é fácil porque mostra tudo como bidimensional, certo e errado sendo as duas dimensões mais populares para as pessoas cuja religião é uma muralha de fogo contra Deus ao invés de um modo de adoração. Eventualmente, na realidade bidimensional, você não precisa de Deus em absoluto, apenas as escrituras e as regras artificiais inventadas pelo homem para definir e defender suas interpretações. Mas a jornada de quarenta dias provoca esta religião aparte, permitindo que a dimensão da transcendência escape.

Novamente, o demônio o levou para uma montanha muito alta e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e seus esplendores. “Tudo isso eu te darei”, ele disse, “se você se prostrar e me adorar.” Jesus lhe disse, “afasta-te de mim, Satanás! Pois está escrito: “Adorarás o Senhor teu Deus, e servirá apenas a Ele”. ’[e]” Então o demônio o deixou, e os anjos vieram e o atenderam.

A terceira tentação é a maior, não a ganância ou a vaidade, mas o egoísmo puro. Nos termos políticos essa é a diferença entre a sociedade construída na corrupção egoísta, ou sobre um sistema de poder baseado em honrarias, e uma que gira em torno de um demagogo cujo narcisismo encanta ou encoraja qualquer ego mais fraco do que ele mesmo. Este é o ego bruto, secretamente ferido como qualquer intimidador o é, exposto num flash de mal que é mais assustador porque de um ângulo é tão ridículo.

A meditação é a jornada dos quarenta dias no deserto que nos coloca posicionados com segurança nesse ângulo, onde nós podemos ver a vacuidade absoluta do ego. Então algo em movimento e completamente terno pode acontecer. O ego satânico escuro se desintegra e anjos bons são libertados. Esses não são mais retorcidos nas forças cristalizadas do egocentrismo. Eles correm soltos procurando por coisas boas para fazer, tristezas para consolar, pessoas para serem ouvidas, bocas famintas para alimentar, almas solitárias para trazer para a comunidade.

Quando você vir essas coisas acontecendo em qualquer lugar da vida cotidiana – um pequeno gesto de bondade no metrô, um sorriso onde você esperaria um olhar fixo, outra segunda chance – você sente que vê uma força trabalhando. É maior do que agentes visíveis que as estão realizando. Ainda assim não há nenhum mensageiro visível (o significado de ângelus é ‘mensageiro’). Há somente a mensagem primária perene da bondade humana sendo transmitida de uma pessoa para outra. Então o demônio o deixou, para retornar alguma hora mais tarde, o evangelho de São Lucas aponta ameaçadoramente. Mas antes que isso aconteça... nós sabemos a quais testes deveríamos estar atentos nos próximos dias.

 


 

Texto original em inglês

Saturday after Ash Wednesday

Scriptures invite a literary interpretation not a literal one. The literal is easy because it shows everything as two-dimensional, right and wrong being the two most popular dimensions for people whose religion is a firewall against God rather than a way of worshiping. Eventually, in two-dimensional reality, you don’t need God at all, just the scriptures and the man-made rules invented to define and defend your interpretations. But the forty-day journey teases this religion apart, allowing the dimension of transcendence to escape.

Again, the devil took him to a very high mountain and showed him all the kingdoms of the world and their splendor. “All this I will give you,” he said, “if you will bow down and worship me.” Jesus said to him, “Away from me, Satan! For it is written: ‘Worship the Lord your God, and serve him only.’[e]” Then the devil left him, and angels came and attended him.

The third temptation is the big one, not greed or vanity but naked egotism. In political terms this is the difference between a society built on self-serving corruption, or on an honours-based power system, and one revolving around a demagogue whose narcissism enthrals or cowers any ego weaker than itself. This is the brute ego, secretly wounded as any bully is, exposed in a flash of evil that is the more frightening because from one angle it is so ridiculous. 

Meditation is the journey of the forty-days in the desert that gets us securely positioned in this angle where we can see the utter vacuousness of the ego. Then something moving and utterly tender can happen. The dark satanic ego crumbles and good angels are set free. These are no longer twisted in the crystallised forces of self-centredness. They run around unleashed, looking for good things to do, griefs to console, people to listen to, hungry mouths to feed, lonely souls to bring into community. 

When you see these things happening anywhere in daily life – a small act of kindness on the subway, a smile where you expected a stare, another second chance - you feel you see a force at work. It is greater than the visible agents who are performing them. Yet there is no visible messenger (the meaning of angelos is ‘messenger’).There is only the primary, perennial message of human kindness being transmitted from one person to another.

So the devil left him, to return at a  later time, St Luke’s gospel ominously remarks. But before that happens… we know the tests we should be on the watch for in the coming days.

 

 

 
O primeiro tipo de silêncio é o da língua. São Tiago aborda esse assunto quando ele exorta seus primeiros companheiros-cristãos a vigiar seus discursos. A língua é como um leme, diz ele, muito pequeno, mas com uma grande influência sobre o rumo que estamos tomando. É mais do que óbvio que nós devemos controlar nossa fala quando dizemos alguma coisa com veemência, meramente ofensiva ou maliciosa seja direta ou escondida no humor. É bem difícil, porque gostaríamos de arrancar nossos sentimentos de raiva de nosso peito. Mas as palavras ditas com raiva e com a intenção de machucar (pois a outra pessoa as merece) caem na mesma armadilha de qualquer violência. Nunca alcança o que promete e sempre piora a coisa.
 
Há, no entanto outro tipo de restrição da fala. A maioria dos nossos enunciados é irracional, não significam o que dizem; muitas vezes seu significado principal é para preencher o constrangimento do silêncio e é geralmente bastante trivial. Não quero dizer que devemos sempre falar sobre realidades sublimes; mas nós sempre devemos comunicar algo útil, significativo ou efetivo. Tagarelice é o equivalente verbal de promiscuidade. Controlar a língua, saber quando começar a falar e quando parar é como ser casto.
 
Quando sentamos para meditar a etapa primeira e óbvia é parar de falar, sem mover nossos lábios ou língua enquanto dizemos o mantra. Com as crianças às vezes dizemos o mantra em voz alta algumas vezes com a diminuição de volume e eles logo descobrem que podem recitá-la interiormente e silenciosamente. Isso é um grande alívio, porque muitas vezes não percebemos como nossa maneira de falar pode ser indisciplinada e superficial ou quantas vezes nós resvalamos para a fofoca. Descansar a língua liberta a mente para que ela se mova em direção ao coração.
 
Mas primeiro temos que lidar com o que está perturbando o outro nível, onde o silêncio tem algo mais a nos ensinar.

 

Medite por Trinta Minutos

Lembre-se: Sente-se. Sente-se imóvel e, com a coluna ereta. Feche levemente os olhos. Sente-se relaxada(o), mas, atenta(o). Em silêncio, interiormente, comece a repetir uma única palavra. Recomendamos a palavra-oração "Maranatha". Recite-a em quatro silabas de igual duração. Ouça-a à medida que a pronuncia, suavemente mas continuamente. Não pense, nem imagine nada, nem de ordem espiritual, nem de qualquer outra ordem. Pensamentos e imagens provavelmente afluirão, mas, deixe-os passar. Simplesmente, continue a voltar sua atenção, com humildade e simplicidade, à fiel repetição de sua palavra, do início ao fim de sua meditação.